segunda-feira, 20 de dezembro de 2021


 Que o Natal seja um momento de paz e reflexão sobre o sentido da caridade!


Que o Ano Novo revigore esperanças e permita realizar os projetos sonhados!

Feliz Natal!

Feliz Ano Novo!


http://www.pordentrodalei.com.br/2021/12/boas-festas.html

terça-feira, 17 de março de 2020

Direito da Moda - Lançamento CANCELADO



Cara Leitora e Caro Leitor

Por conta da atual situação, que exige cuidado e consideração de todos, o evento acima foi cancelado e será remarcado para um momento mais oportuno. A autora fará, também oportunamente, um vídeo de apresentação da obra, a qual será disponibilizada nas livrarias a partir do próximo sábado. Agradeço a sua compreensão e manterei contato para atualizá-los.







DIREITO DA MODA: UMA INTRODUÇÃO AO FASHION LAW

de Valquíria Sabóia

Lançamento com palestra: dia 21 de março, a partir das 19h

Blog Fashion Law VS



Direito da Moda, com sua característica interdisciplinar, já se firmou como uma área relevante dos estudos jurídicos. Nascido nos EUA, no início da primeira década deste século XXI, sob o nome de Fashion Law, visava inicialmente discutir a proteção ao trabalho dos estilistas. O universo da Moda e sua indústria, com sua importância econômica e sua complexidade como fenômeno sociocultural, impulsionaram as discussões para outras esferas que não apenas o design de marcas, alcançando questões de contratação e defesa da imagem de modelos e até mesmo o grave problema do trabalho escravo. Este livro almeja ser uma breve introdução a essa disciplina, tendo buscado apresentar um panorama geral dos principais assuntos envolvidos.

Contate o blog Fashion Law VS aqui


sábado, 25 de janeiro de 2020

São Paulo 466 anos


Naquela manhã, do dia 25 de janeiro de 1554, em que se havia terminado a construção de um barracão no qual se instalaria o Real Colégio de Piratininga, os doze padres jesuítas que o idealizaram e nele trabalharam, celebram uma missa, presidida pelo futuro diretor. Este gesto dá origem à cidade de São Paulo. O nome escolhido fora uma homenagem à mesma data em que o apóstolo Paulo se convertera ao cristianismo.

Originária desta forte tradição cristã-católica, hoje São Paulo abriga credos, raças e corações dotados da mais plena diversidade. Prismas, matizes, espectros, cores, ideias e sentimentos se fundem e misturam dialeticamente neste atual centro cosmopolita da maior importância.





Na data de hoje, a cidade celebra seus 466 anos! Quem nela reside não a consegue abandonar. Conhecendo-a ou não, o residente sente-se um preso livremente voluntário. Não há um motivo único para isso. A força econômica de um município que possui o 10º maior PIB do mundo, conforme disse uma pesquisa de 2009; as oportunidades de trabalho e desenvolvimento pessoal; a plenitude da vida cultural, com museus, parques e monumentos, a agitação da vida noturna, quase ininterrupta que chega a confundir-se com o dia; a riqueza do espaço gastronômico de origem praticamente universal; o ativismo de movimentos políticos diversificados; a loucura produzida pela contradição do cinza do asfalto com o colorido dos carros. O choque cotidiano de pessoas que se vendo não se veem. O isolar do ritmo e o aconchego de breves contatos ou sólidas amizades que seguem o movimento impetuoso da metrópole.

Nada explica ao certo. Mas São Paulo vive, pulsa e grita com a força de seus cidadãos e habitantes. E estes vivem dela... e, certamente, por ela.

Parabéns a seus 466 anos, São Paulo!


sábado, 1 de junho de 2019

Sair com amigas ajuda mulheres a manter a saúde!

Pesquisas divulgadas pela mídia científica apontam que mulheres que saem com as amigas ao menos duas vezes na semana têm vida mais saudável.





Nos dias atuais, a maior parte das pessoas gasta seu tempo em atividades na internet, incluindo nestas as relações pessoais por meio das chamadas mídias sociais, usadas como mecanismos de diversão e relacionamento. Estudos demonstraram que, ao contrário do que se pensa normalmente, essas mídias sociais têm poder limitado para criar laços de relacionamento e não geram resultados satisfatórios no que tange ao bem-estar pessoal.

Com relação às mulheres, cujas atividades diárias somam funções muito diversas, o bem-estar pessoal e respostas positivas ao stress estão mais ligadas a interações pessoais do que a relacionamentos e atividades praticadas nas mídias sociais.

Um dos estudos, realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford (Inglaterra), mostrou que os benefícios vão além de simplesmente proporcionar momentos de diversão, empatia e união.

Robin Dunbar, renomado professor de psicologia comportamental e líder da pesquisa, chegou à conclusão de que as mulheres presenciam melhora efetiva em sua saúde e bem-estar geral quando passam um tempo de qualidade ao lado de suas melhores amigas.

De acordo com os resultados da pesquisa, as mulheres precisam sair duas vezes por semana com as amigas, porque esses encontros proporcionam a elas mais felicidade e mais realizações em todas as outras áreas de sua vida, incluindo profissional e familiar.

"A ideia de 'duas vezes por semana' vem do fato de que esta é a quantidade de tempo de que se pode dispor com seus amigos mais próximos", afirmou Dunbar ao Huffington Post. "Pessoas com redes de relações mais integradas tendem a sofrer menos, a recuperarem-se mais facilmente de situações de doença e outras dificuldades", completou.

Outro estudo, realizado por pesquisadores da UCLA, apontou que, em face do stress, as mulheres tendem a uma reação de cuidado e cumplicidade (tend-and-befriend, em inglês), ao contrário dos homens, cuja reação natural permanece somente no campo da chamada fuga/confronto (fight-or-flight). "Embora no ser humano em geral esta última reação seja comum, nas mulheres se apresenta de forma mais acentuada o padrão de resposta tend-and-befriend", diz a pesquisa.

Os pesquisadores acreditam que a razão para isso é o hormônio oxitocina, chamado "hormônio do amor", produzido normalmente por mães ao se relacionarem com seus bebês recém-nascidos. "A oxitocina tem sido estudada em grande parte por seu papel no parto, mas também é secretada em homens e mulheres como uma resposta ao stress", disse a pesquisadora líder da UCLA, Shelley E. Taylor, observando que pessoas com altos níveis de oxitocina são mais calmas. relaxadas, mais sociáveis e menos ansiosas.

A pesquisa também apontou que os níveis de ocitocina são elevados quando as pessoas estão tendo experiências agradáveis, fazendo com que fiquem mais calmas e mais felizes, o que acontece mais frequentemente na relações efetivas de contato pessoal em pequenos grupos de amigos.

As atividades podem ser as mais diversas, mas, sair com amigas cria relações mais firmes e transmite a sensação de intimidade necessária a resultados mais positivos para a saúde, de acordo com Dunbar.

Portanto, mulheres, por mais que suas ocupações apertarem seu tempo, não deixe de cuidar de sua vida social e de suas relações com amigas próximas.

Homens, calma! Há estudos anteriores de Dunbar que apontam que sair com os amigos também é saudável para o bem-estar masculino.


Por João Ibaixe Jr.


Publicado originalmente em Por Dentro da Lei
(para ler e verificar fontes, clique aqui)



Crédito de imagem
Sex and the City episodes are best watched uncut





terça-feira, 29 de janeiro de 2019

MINERAÇÃO A SECO


O presidente da SRN MINERADORA, o advogado Marcelo Da Silva Prado, concedeu entrevista ao jornalista Heródoto Barbeiro, no Jornal Record News, em 28-1-19, cujo tema foi mineração a seco (por magnetização) - o fim das barragens de rejeitos de minério de ferro.



segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Börü: uma série para quem gosta de ação com drama diferenciado

Decidi a partir deste post escrever sobre séries (e talvez filmes) que tenho assistido na Netflix. O que me levou a fazê-lo, foi a decepção com os comentários dessas séries. A maioria repete publicações traduzidas de sites estrangeiros que fazem análises a partir de critérios americanos. Ao fim, o analista diz apenas se a série é digna de maratona ou não.

Não digo que irei produzir grandes críticas. O que vou procurar é trazer algumas informações que penso ser relevantes para quem gosta deste tipo de diversão. Eis a proposta: colaborar com a diversão de uma forma que julgo ser talvez um pouco mais aproveitável.

Voltando à tarefa, gostaria de apresentar minhas impressões sobre a série que recebeu o nome Börü – Esquadrão Lobo, uma produção turca de 2018, distribuída pela Netflix.


 


Na sinopse do site oficial, pode-se ver que a série, com seis episódios de cerca de uma hora, trata-se de um thriller de ação sobre um grupo de policiais da força especial, que combate o terrorismo. Até aí, todos falam isto.

Falam também, o que é verdade, que as cenas de ação – o primeiro episódio começa já em ritmo acelerado – são o forte da produção. É fato. A câmera ágil, edição precisa, montagem acurada dão forma a cenas muito bem elaboradas e que nada ficam a dever a outras grandes produções do gênero. Em todos os episódios há grandes e memoráveis cenas de ação, principalmente nas que envolvem combate armado. Um prato cheio para quem gosta!

Mas não é só ação. No critério de drama das personagens, os analistas criticam a série porque dizem que ela toma, a cada vez, um ritmo lento, o que a faz cansativa (e, portanto, não digna de maratona).

A questão é que, em se tratando de uma produção turca e não americana, as relações entre as personagens se dão de forma distinta. E isto já vem denunciado na primeira cena do primeiro episódio, quando um dos protagonistas, membro da equipe, chega de ônibus à cidade e, ao encontrar seu time em plena operação, já faz um discurso, o qual possivelmente em turco, tem um significado dramático muito superior ao que é dado pela dublagem em português.

Disto, denotam-se duas coisas. A série é impregnada de valores turcos, perceptivelmente, o nacionalismo (diferente do nosso, polarizado entre esquerda e direita) e honra (sentimento pouco desenvolvido por aqui, mas de absoluto valor nas civilizações do oriente e meio-oriente).

Quanto ao nacionalismo, cada episódio começa informando tratar-se de uma história baseada em fatos reais, ocorridos a partir do ano de 2014. Tais fatos remetem a um movimento contra o agora reeleito presidente turco Erdogan, que se envolveu em acusações diversas entre corrupção e autoritarismo, mas principalmente a de romper com as tradições nacionais da nação turca (cada episódio faz remissão a esta questão). Essa problemática é por demais complexa para uma abordagem aqui, mas revela a essência do programa.

Diferentemente de programas americanos que tratam de forma maniqueísta tais questões e dos seriados e novelas brasileiras que tratam de relações pessoais, a série turca tem como essência a questão do nacionalismo turco. Aqui entra a honra, porque a equipe está diretamente envolvida com um movimento de combate às “forças” que querem destruir a nação turca. Por não serem comuns, estes temas causam cansaço a quem assiste à série pensando num filme americano.

Um outro problema é a dublagem e a legenda em português, que fazem perder a consistência dramática dos diálogos. Se possível, é preferível assistir com a dublagem em inglês, que torna o seriado mais realista.




Duas curiosidades: Börü é uma expressão da língua turca arcaica que significa “lobo” realmente; o ator principal, que faz o papel de Kaya (Serkan Çayoglu) é turco de origem alemã e é bem conhecido na Europa, a par de seus colegas que são atores conhecidos em seu país de origem.

Enfim, é um programa para quem quer uma boa ação, mas está aberto a uma trama diferenciada.




Börü – Esquadrão Lobo

Thriller, ação, guerra | TV Mini-Serie
6 episódios | 1h20min 
Turquia, 2018

Criador e Produtor: Alper Caglar
Direção: Can Emre e Cem Özüduru

Elenco principal
Ahu Türkpençe
Serkan Çayoglu
Emir Benderlioglu
Murat Arkin
Firat Dogruloglu
Mesut Akusta


segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

BOAS FESTAS!




Que o Natal seja um momento de paz e reflexão sobre o sentido da caridade!

Que o Ano Novo revigore esperanças e permita realizar os projetos sonhados!

Feliz Natal!

Feliz Ano Novo!



sábado, 24 de dezembro de 2016

BOAS FESTAS!





Que o Natal seja um momento de paz e reflexão sobre o sentido da caridade!

Que o Ano Novo revigore esperanças e permita realizar os projetos sonhados!


Feliz Natal!

Feliz Ano Novo!



quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Teatro: dicas para encontrar sua personagem



1. Leia todo o texto para conhecer sua estrutura e dinâmica
Toda peça compõe-se de uma estrutura de construção e uma dinâmica narrativa, que passa a ser conhecida pela leitura de todo o texto detalhadamente. Sua personagem está junto com outros e fala a eles e a partir deles, mesmo em um monólogo. Analise o conjunto das falas para revelar as ações, atividades, interações e conflitos entre todas as personagens. A descoberta de sua personagem advém de como ela se encaixa no todo do enredo. Pergunte-se: que ela faz ali?


2. Compreenda as falas antes de decorá-las
A personagem vive através de sua fala no texto e no diálogo com outros. O ser de sua personagem está em seu falar. Para conhecer a personagem, tem-se que compreender o que ela fala, porque fala e como fala. A compreensão facilita a decoração. Memorizar exige entender o falar. Pergunte-se: de que fala minha personagem?


3. Abra-se para o falar de sua personagem
Se o ser da personagem está em sua fala, ali também está sua personalidade, advinda de suas palavras e ações. O quem de sua personagem está relacionado ao modo como ela fala e se comporta, quase da mesma forma que na vida real. Para se conhecer uma pessoa, vê-se como ela age; para se conhecer a personagem também. Examine, explore e sinta, principalmente sinta, a fala de sua personagem. Pergunte-se: como fala (age) minha personagem?


4. “Compadeça-se” de sua personagem
Compadecer-se é ter compaixão. Compaixão é a qualidade sentimental de empatia com a narrativa de vida de uma pessoa, com sua tragédia pessoal (lembre-se de que tragédia é expressão de origem teatral). Neste sentido, tenha compaixão de sua personagem. Mergulhe na narrativa de sua vida dada por seu falar, coloque-se em seu lugar, sinta o que ela sente. Deixe sua imaginação livre e aceite sua intuição. Pergunte-se: como sente minha personagem?


5. “Biografe” sua personagem
Escreva ou imagine-se escrevendo a biografia sucinta de sua personagem. Desde seu nascimento até sua eventual morte. Onde e quando nasceu, como foi sua vida até ali, como o será depois, quais suas qualidades e defeitos, quais seus sonhos e desejos. Descubra as características de sua personagem. E descubra o que ela não é, pois a partir da negativa, pode-se chegar a uma série de afirmativas. Pergunte-se: quem é minha personagem?



Material para o
Curso de Teatro da OAB-SP
Novembro de 2016



João Ibaixe Jr.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Livro de ficção é investigado pela Polícia Federal por suposta falsificação de documento

O escritor Ricardo Lísias foi intimado a comparecer à Polícia Federal em São Paulo para esclarecer suposta falsificação de documento público. O motivo: uma peça de ficção criada pelo autor para sua série Delegado Tobias, que consiste em uma decisão judicial ficcional que tem função na própria narrativa.

O episódio surreal fez a ficção tornar-se realidade. A leitura da obra permitiria um esclarecimento, mas as instituições preferiram a instauração de inquérito.

Leia mais aqui