sábado, 1 de junho de 2019

Sair com amigas ajuda mulheres a manter a saúde!

Pesquisas divulgadas pela mídia científica apontam que mulheres que saem com as amigas ao menos duas vezes na semana têm vida mais saudável.





Nos dias atuais, a maior parte das pessoas gasta seu tempo em atividades na internet, incluindo nestas as relações pessoais por meio das chamadas mídias sociais, usadas como mecanismos de diversão e relacionamento. Estudos demonstraram que, ao contrário do que se pensa normalmente, essas mídias sociais têm poder limitado para criar laços de relacionamento e não geram resultados satisfatórios no que tange ao bem-estar pessoal.

Com relação às mulheres, cujas atividades diárias somam funções muito diversas, o bem-estar pessoal e respostas positivas ao stress estão mais ligadas a interações pessoais do que a relacionamentos e atividades praticadas nas mídias sociais.

Um dos estudos, realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford (Inglaterra), mostrou que os benefícios vão além de simplesmente proporcionar momentos de diversão, empatia e união.

Robin Dunbar, renomado professor de psicologia comportamental e líder da pesquisa, chegou à conclusão de que as mulheres presenciam melhora efetiva em sua saúde e bem-estar geral quando passam um tempo de qualidade ao lado de suas melhores amigas.

De acordo com os resultados da pesquisa, as mulheres precisam sair duas vezes por semana com as amigas, porque esses encontros proporcionam a elas mais felicidade e mais realizações em todas as outras áreas de sua vida, incluindo profissional e familiar.

"A ideia de 'duas vezes por semana' vem do fato de que esta é a quantidade de tempo de que se pode dispor com seus amigos mais próximos", afirmou Dunbar ao Huffington Post. "Pessoas com redes de relações mais integradas tendem a sofrer menos, a recuperarem-se mais facilmente de situações de doença e outras dificuldades", completou.

Outro estudo, realizado por pesquisadores da UCLA, apontou que, em face do stress, as mulheres tendem a uma reação de cuidado e cumplicidade (tend-and-befriend, em inglês), ao contrário dos homens, cuja reação natural permanece somente no campo da chamada fuga/confronto (fight-or-flight). "Embora no ser humano em geral esta última reação seja comum, nas mulheres se apresenta de forma mais acentuada o padrão de resposta tend-and-befriend", diz a pesquisa.

Os pesquisadores acreditam que a razão para isso é o hormônio oxitocina, chamado "hormônio do amor", produzido normalmente por mães ao se relacionarem com seus bebês recém-nascidos. "A oxitocina tem sido estudada em grande parte por seu papel no parto, mas também é secretada em homens e mulheres como uma resposta ao stress", disse a pesquisadora líder da UCLA, Shelley E. Taylor, observando que pessoas com altos níveis de oxitocina são mais calmas. relaxadas, mais sociáveis e menos ansiosas.

A pesquisa também apontou que os níveis de ocitocina são elevados quando as pessoas estão tendo experiências agradáveis, fazendo com que fiquem mais calmas e mais felizes, o que acontece mais frequentemente na relações efetivas de contato pessoal em pequenos grupos de amigos.

As atividades podem ser as mais diversas, mas, sair com amigas cria relações mais firmes e transmite a sensação de intimidade necessária a resultados mais positivos para a saúde, de acordo com Dunbar.

Portanto, mulheres, por mais que suas ocupações apertarem seu tempo, não deixe de cuidar de sua vida social e de suas relações com amigas próximas.

Homens, calma! Há estudos anteriores de Dunbar que apontam que sair com os amigos também é saudável para o bem-estar masculino.


Por João Ibaixe Jr.


Publicado originalmente em Por Dentro da Lei
(para ler e verificar fontes, clique aqui)



Crédito de imagem
Sex and the City episodes are best watched uncut





terça-feira, 29 de janeiro de 2019

MINERAÇÃO A SECO


O presidente da SRN MINERADORA, o advogado Marcelo Da Silva Prado, concedeu entrevista ao jornalista Heródoto Barbeiro, no Jornal Record News, em 28-1-19, cujo tema foi mineração a seco (por magnetização) - o fim das barragens de rejeitos de minério de ferro.



segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Börü: uma série para quem gosta de ação com drama diferenciado

Decidi a partir deste post escrever sobre séries (e talvez filmes) que tenho assistido na Netflix. O que me levou a fazê-lo, foi a decepção com os comentários dessas séries. A maioria repete publicações traduzidas de sites estrangeiros que fazem análises a partir de critérios americanos. Ao fim, o analista diz apenas se a série é digna de maratona ou não.

Não digo que irei produzir grandes críticas. O que vou procurar é trazer algumas informações que penso ser relevantes para quem gosta deste tipo de diversão. Eis a proposta: colaborar com a diversão de uma forma que julgo ser talvez um pouco mais aproveitável.

Voltando à tarefa, gostaria de apresentar minhas impressões sobre a série que recebeu o nome Börü – Esquadrão Lobo, uma produção turca de 2018, distribuída pela Netflix.


 


Na sinopse do site oficial, pode-se ver que a série, com seis episódios de cerca de uma hora, trata-se de um thriller de ação sobre um grupo de policiais da força especial, que combate o terrorismo. Até aí, todos falam isto.

Falam também, o que é verdade, que as cenas de ação – o primeiro episódio começa já em ritmo acelerado – são o forte da produção. É fato. A câmera ágil, edição precisa, montagem acurada dão forma a cenas muito bem elaboradas e que nada ficam a dever a outras grandes produções do gênero. Em todos os episódios há grandes e memoráveis cenas de ação, principalmente nas que envolvem combate armado. Um prato cheio para quem gosta!

Mas não é só ação. No critério de drama das personagens, os analistas criticam a série porque dizem que ela toma, a cada vez, um ritmo lento, o que a faz cansativa (e, portanto, não digna de maratona).

A questão é que, em se tratando de uma produção turca e não americana, as relações entre as personagens se dão de forma distinta. E isto já vem denunciado na primeira cena do primeiro episódio, quando um dos protagonistas, membro da equipe, chega de ônibus à cidade e, ao encontrar seu time em plena operação, já faz um discurso, o qual possivelmente em turco, tem um significado dramático muito superior ao que é dado pela dublagem em português.

Disto, denotam-se duas coisas. A série é impregnada de valores turcos, perceptivelmente, o nacionalismo (diferente do nosso, polarizado entre esquerda e direita) e honra (sentimento pouco desenvolvido por aqui, mas de absoluto valor nas civilizações do oriente e meio-oriente).

Quanto ao nacionalismo, cada episódio começa informando tratar-se de uma história baseada em fatos reais, ocorridos a partir do ano de 2014. Tais fatos remetem a um movimento contra o agora reeleito presidente turco Erdogan, que se envolveu em acusações diversas entre corrupção e autoritarismo, mas principalmente a de romper com as tradições nacionais da nação turca (cada episódio faz remissão a esta questão). Essa problemática é por demais complexa para uma abordagem aqui, mas revela a essência do programa.

Diferentemente de programas americanos que tratam de forma maniqueísta tais questões e dos seriados e novelas brasileiras que tratam de relações pessoais, a série turca tem como essência a questão do nacionalismo turco. Aqui entra a honra, porque a equipe está diretamente envolvida com um movimento de combate às “forças” que querem destruir a nação turca. Por não serem comuns, estes temas causam cansaço a quem assiste à série pensando num filme americano.

Um outro problema é a dublagem e a legenda em português, que fazem perder a consistência dramática dos diálogos. Se possível, é preferível assistir com a dublagem em inglês, que torna o seriado mais realista.




Duas curiosidades: Börü é uma expressão da língua turca arcaica que significa “lobo” realmente; o ator principal, que faz o papel de Kaya (Serkan Çayoglu) é turco de origem alemã e é bem conhecido na Europa, a par de seus colegas que são atores conhecidos em seu país de origem.

Enfim, é um programa para quem quer uma boa ação, mas está aberto a uma trama diferenciada.




Börü – Esquadrão Lobo

Thriller, ação, guerra | TV Mini-Serie
6 episódios | 1h20min 
Turquia, 2018

Criador e Produtor: Alper Caglar
Direção: Can Emre e Cem Özüduru

Elenco principal
Ahu Türkpençe
Serkan Çayoglu
Emir Benderlioglu
Murat Arkin
Firat Dogruloglu
Mesut Akusta